Páginas

quinta-feira, 8 de março de 2012

Teste da Violência Obstétrica - Dia Internacional da Mulher - Blogagem Coletiva



Já contei antes sobre o nascimento do Arthur aqui. Sou um tanto frustrada por não ter tido um PN. Apesar de ter feito uma cesárea, foi um tanto tranquilo. Não me trataram mal, deixaram meu marido ficar comigo durante o trabalho de parto. Mas... fui obrigada a ficar deitada na cama, senti vontade de tomar banho algumas vezes por ter passado mal e não me deixaram. Tomei mesmo assim. Sorte que eu havia levado toalhas e produtos de higiene pessoal senão eu ia ficar me sentindo suja. Ninguém merece depois de uma dor de barriga daquelas ficar com o bundão pelado la e sem tomar um banho, né? Um calor do c... que estava e nem um golinho de água sequer?? Aff quase me mataram de sede, e eu perdendo líquido por ja ter rompido a bolsa. E os toques??? Gezuis... a enfermeira quase me matava com tantos toques. Fez vários e vários, não contei, obvio mas foram muitos. E não sei o que ela fazia que doía muito, com o médico não doía mas ela, Senhor!!

Até que me rendi e implorei pela cesárea. Na hora correram comigo pra fazer a cirurgia logo. Eu juro, que se tivesse alguem do meu lado que dissesse: Calma, você consegue, fique firme. Eu iria tentar mais um pouco. Eu estava exausta, com muita dor e as contrações todas irregulares aí pra me animar o médico me diz que eu estava com menos de 2cm de dilatação e que iria demorar NO MÍNIMO 24hrs... ah... desisti naquele momento. Disse a ele que queria uma cesárea naquela hora e que não queria mais sentir mais nenhuma contração. Foi muito rápido, fui pra sala de cirurgia em seguida e em menos de meia hora (eu acho) Arthur nasceu.

Depois disso, claro que levaram meu bebê pra longe de mim e puxa daqui, estica dali, e bebê chora e mãe fica aflita e curiosa pra ver pela primeira vez sua cria. Enfim o levaram, a pediatra insistiu um pouco no meu peito e ele não mamou. Fiquei o namorando com os olhos (pois meus braçoes estavam amarrados) por poucos minutos e já levaram novamente pra longe de mim. O pai babão também foi atrás do filhote e eu fiquei amarrada, toda aberta enquanto os médicos conversavam sobre política ou sei lá o que e me suturavam as 8 camadas abertas.

Arthur nasceu às 6:05 da manhã. Fui vê-lo ja eram mais de 13:00hs. Ele ainda sem mamar, eu ainda sem olhar pra ele direito. Não tinha quarto disponível no hospital (que dizem ser um dos melhores da cidade), voltei para sala de pré-parto. Fiquei um tempo por lá para depois me levarem para o quarto, ja estava com Arthur a essas alturas. Com um pouco de dificuldade para amamentar, o que é normal, mas ele tinha ficado tanto tempo longe de mim e ainda não sentia fome???

Ja durante a noite eu estava com bastante dor e ainda com dificuldade para amamentar. Chamei uma enfermeira. Ela disse que o levaria para dar um banho e que era pra eu descansar. Apaguei. Quando ela voltou com ele, ja não sabia quanto tempo havia se passado, ele estava dormindo e continuou dormindo a noite toda. Comassim?? Foi a ÚNICA vez que ele dormiu a noite toda desde que nasceu até 1 ano. Que banho mágico foi esse??

Durante o dia eu não via a hora do marido ficar comigo mas ele era VISITA e só podia entrar em determinados horários e ainda tinha que sair para outras pessoas entrarem. Cadê o direito do acompanhante?

No mais foi tudo tranquilo. Fiquei com dor mais algumas semanas, saí do hospital ja com muito leite (a pediatra me chamava de vaca holandesa..rs) e Arthur parecia um bezerrinho, aprendeu a mamar direitinho. Voltei pra casa e começou nossa nova vida.

Como foi a sua história? Faça o teste, acesse o link.


Google Forms


4 comentários:

Síntia Souza disse...

Provavelmente vc deve ter tido na U....., lá é assim para pior, aquela maternidade é horrível, e provavelmente a pessoa que te fez toque não estava no seu melhor dia.
tive dois filhotes aqui em Sorocaba, em outro hospital e foi tudo maravilhoso, saiu da sala de cirurgia comigo já mamando e não saiu do meu lado nem mais um minuto! Tomara que na próxima experiencia você tenha mais sorte!Beijão Grande, e meus sentimentos pela sua mãe, marilda que por sinal era minha madrinha. Orei e oro muito por ela, Até,,

Futura mãmã disse...

Poxa que parto o seu hein...acabou em bem felizmente...
beijo

Ana Claudia disse...

Ariane...infelizmente algumas coisas desagradáveis aconteceram com a gente...mas o que realmente importa é que a criançada está crescendo, aprontando e fazendo nossa vida mais alegre...ê coisa boa!!!

bj

Carla Arruda disse...

Na torcida de coração que vc possa refazer a história... o próximo vc terá um parto lindo e respeitoso!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...